COVID-19, temperatura e Vitamina D

Direitos autorais: ©evgeniy – stock.adobe.com

O SARS-CoV-2 demonstrou ser responsivo à temperatura e umidade, com a infecciosidade aumentando com temperaturas e níveis de umidade mais baixos. Uma investigação chinesa recente sugere que o COVID-19 é altamente sensível a altas temperaturas e se espalha mais rapidamente em climas mais frios; sua propagação mais rápida está ocorrendo a uma temperatura de 8,72 graus Celsius. Os coronavírus (como um grupo geral) parecem ser destruídos por temperaturas em torno de 56 graus Celsius.

Existem evidências convincentes que sugerem que a otimização do nível de vitamina D pode reduzir o risco de COVID-19 e outras infecções virais, como a influenza sazonal. Com a chegada das temperaturas mais baixas, é essencial reduzirmos os riscos.

A otimização da sua vitamina D é particularmente importante se você tem uma pele mais escura, pois a pele mais escura o coloca em maior risco de deficiência de vitamina D – e infecção grave por COVID-19.

Conforme relatado pelo The Guardian,  a mortalidade por COVID-19 entre americanos negros é três vezes maior que a dos brancos, e os pesquisadores sabem há muito tempo que os negros não conseguem atingir níveis ideais de vitamina D devido à exposição ao sol em nenhuma época do ano na América do Norte. 

A pesquisa  publicada em 28 de abril de 2020, aponta que a insuficiência de vitamina D é prevalente em casos graves de COVID-19 e que “dados emergentes de disparidades de saúde em relação a populações afro-americanas e sem-teto sugerem que a insuficiência de vitamina D (VDI) pode ser um fator subjacente à Gravidade do COVID-19. É importante ressaltar que este estudo  encontrou 100% dos pacientes com COVID-19 com menos de 75 anos internados em unidades de terapia intensiva apresentavam insuficiência de vitamina D.

Uma carta ao editor,  publicada no Irish Medical Journal, também aponta os muitos vínculos entre a deficiência de vitamina D e os fatores conhecidos por desempenharem um papel no COVID-19, como sexo masculino, síndrome do desconforto respiratório agudo (SDRA) e comorbidades. como obesidade, diabetes e doenças cardíacas.

A maneira mais fácil de aumentar seu nível é através da exposição solar regular e segura, mas se você é de pele muito escura, pode ser necessário passar cerca de 1,5 horas por dia ao sol para ter algum efeito perceptível.

Aqueles com pele muito clara podem precisar apenas de 15 minutos por dia, o que é muito mais fácil de conseguir. Ainda assim, eles também lutam para manter os níveis ideais durante o inverno. Portanto, dependendo da sua situação, pode ser necessário usar um suplemento oral de vitamina D3. 

A dosagem de vitamina D3 deve ser individualizada conforme vários fatores, incluindo a cor da pele, peso e outras deficiências nutricionais. Procure um profissional no caso de suplementação.

Fontes:

Dr. Mercola

South China Morning Post March 8, 2020

Medical Microbiology 4th Edition, Chapter 60, Coronaviruses, Clinical Manifestations

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *