Mapeamento de padrões emocionais prejudiciais com tecnologia.

O bem-estar psicológico está associado a uma saúde melhor e estudos recentes, mostram que ele até impacta nas taxas de mortalidade, diminuindo o risco de morte.

Eliminar os fatores de estresse óbvios – uma vida familiar agitada, um trabalho com alta pressão, preocupações com dinheiro, relacionamentos difíceis, divórcio, problemas de autoestima, exposição constante a campos eletromagnéticos e todas as outras coisas que contribuem para nosso estilo de vida moderno – nem sempre é possível.

Para chegar a esse estado positivo, temos que ir até a raiz do motivo pelo qual não administramos bem os estresses inevitáveis. E isso significa descobrir padrões emocionais doentios, submersos que sabotam até mesmo nossos melhores esforços para controlar o estresse e melhorar nosso próprio desempenho.

Porque algumas pessoas são mais profundamente afetadas por estressores do que outras depende de suas experiências de vida, bem como de sua genética. O estresse pode ser mais perigoso para pessoas com predisposição e histórico familiar de doenças como doenças cardíacas, diabetes e depressão. Uma criança que viveu uma experiência traumática, por exemplo, desenvolvendo problemas de abandono em torno de um dos pais após o divórcio, tem muito mais probabilidade de ficar estressada e emocionalmente traumatizada por seu próprio processo de divórcio mais tarde na vida do que outra mulher que não teve essa experiência anterior.

Para agravar a situação, pesquisadores na área de epigenética descobriram agora que eventos na vida de alguém podem mudar a forma como seu DNA é expresso, e muitos dos efeitos do estresse traumático que experimentam podem ser transmitidos às gerações subsequentes, mesmo que nessa futura família, os membros não são expostos a quaisquer estressores traumáticos. Isso significa que uma pessoa pode ter sido criada em um lar perfeitamente feliz com os pais presentes e ainda ser afetada ou mesmo herdar o trauma de um avô ou bisavô que foi abandonado quando criança.

Temos ferramentas tecnológicas para mapear os padrões emocionais prejudicais ocultos e seus efeitos físicos no corpo humano.  A partir da informação mapeada, gera-se consciência das questões prejudicais a serem trabalhadas. Consulte detalhes!

Daniel J. Fleck

Referências
J Aging Res, 2018; 2018: 2126368
Neuroscience, 2014; 0: 157-70
Prog Mol Biol Transl Sei, 2018; 158: 273-98

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *