O autismo pode ser causado por problemas no intestino

O autismo poderia ter mais a ver com o intestino do que com o cérebro, sugerem novas pesquisas.

O intestino tem seu próprio sistema nervoso que pode estar influenciando – ou possivelmente causando – o autismo, dizem pesquisadores que descobriram as mesmas mutações genéticas no cérebro e no intestino de crianças com autismo.

Os pesquisadores observaram quase que exclusivamente os cérebros dos pacientes para entender o problema, mas os pesquisadores da RMIT University, em Melbourne, na Austrália, dizem que o intestino é igualmente significativo e, talvez ainda mais.

Os pesquisadores começaram a analisar o intestino depois de perceber que cerca de 90% das crianças com autismo também tinham problemas gastrointestinais tão graves que podem ter “um impacto significativo na vida cotidiana”, disse a pesquisadora Elisa Hill-Yardin.

Os pesquisadores descobriram uma mutação genética no intestino dos pacientes que afeta a comunicação dos neurônios no cérebro e interfere especificamente na maneira como os neurônios ‘se unem’ e permanecem em contato próximo.

A mutação também causa problemas intestinais ao afetar as contrações intestinais, o número de neurônios no intestino delgado, a velocidade com que os alimentos se movem através do intestino e a maneira como um neurotransmissor crítico, conhecido por ser um fator no autismo, responde.

A descoberta lança um tratamento autista aberto e sugere que o foco em neurotransmissores no intestino pode ser a chave para a recuperação do autismo.


Referências

(Fonte: Autism Research, 2019; doi: 10.1002 / AUR.2127)

wddty 062019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *