Pesquisa descobre que interiores de carros contêm mistura tóxica de produtos químicos

 A maioria de nós não dá valor aos nossos carros. Nós os enchemos, tentamos mantê-los limpos e gastamos boa parte do nosso orçamento mensal pagando por eles. Enquanto alguns de nós estão apenas em nossos veículos por um curto período de tempo todos os dias, enquanto levamos nossos filhos para a escola ou para o trabalho, outros passam horas por dia como parte de seus trabalhos. Todos nós sabemos o quão tóxico o escapamento de um carro pode ser, mas você sabia que o interior do seu carro está cheio de produtos químicos tóxicos que danificam seu corpo toda vez que você entra?

Dos tapetes aos plásticos, existem literalmente produtos químicos em todos os lugares.

Você sabia que o ar dentro do seu carro é pior do que fora?

Quando você entra em seu carro, você está exposto a quaisquer produtos químicos no ar que estão sendo liberados pelos materiais dentro de seu veículo. Se você dirigir com o ar condicionado ligado, você força ainda mais contaminantes no ar no aquário tóxico em que você está andando.

Quanto mais você dirige, mais você está exposto a poluentes como formaldeído e benzeno. Parece que não há como escapar dos poluentes perigosos. A maioria dos carros está cheia de materiais que liberam esses produtos químicos, mesmo os ecologicamente corretos que deveriam ser tão bons para o meio ambiente.

Motivo de preocupação: Centenas de produtos químicos encontrados dentro de veículos, muitos são cancerígenos conhecidos

Tanto o formaldeído quanto o benzeno são cancerígenos bem conhecidos. Outro carcinógeno encontrado na maioria dos veículos é o TDCIPP (tris clorado). Este é um retardador de chama que é usado na fabricação da maioria dos têxteis usados ​​em veículos. A exposição prolongada a esses três produtos químicos por si só pode aumentar drasticamente o risco de câncer em muitos níveis diferentes.

O número de produtos químicos tóxicos encontrados na cabine do seu carro é longo, cada um aumentando constantemente o risco de doenças e enfermidades. Alguns dos maiores infratores são o cloreto de polivinila (PVC), retardadores de chama bromados, compostos orgânicos voláteis e metais tóxicos ​​como chumbo.

Siga estes passos SIMPLES para reduzir sua exposição

Você pode tentar reduzir sua exposição a essa horrenda sopa tóxica de produtos químicos em seu veículo abrindo as janelas enquanto dirige. Mantenha o ar em movimento deixando as janelas abertas sempre que possível. Toda vez que você fecha as janelas e tranca o carro, os níveis de toxinas se acumulam novamente até que você abra a porta e restabeleça a ventilação.

O que mais você pode fazer? Ajude seu corpo a remover toxinas, melhorando sua hidratação e passando muito tempo ao ar livre. Quando você está em seu carro, os produtos químicos ficam presos dentro e você os respira. Para desintoxicar, passe o máximo de tempo possível em áreas bem ventiladas. Mantenha-se hidratado bebendo bastante água fresca e limpa todos os dias e praticando exercícios de respiração profunda para limpar seus pulmões.

Certifique-se de manter um sistema imunológico robusto

Além de liberar as toxinas do seu corpo através da hidratação e respiração profunda, você também precisa incluir alimentos ricos em antioxidantes em sua dieta. Goji berries, mirtilos, alcachofras, chocolate amargo e repolho roxo são apenas alguns alimentos ricos em antioxidantes que ajudarão a eliminar os radicais livres do seu corpo. Também é importante incluir vitaminas, minerais e fibras para manter seu corpo funcionando com desempenho máximo. Sono suficiente e exercícios regulares são essenciais se você espera que o sistema imunológico trabalhe horas extras para proteger seu corpo dessas toxinas às quais você está constantemente exposto.

Podemos não conseguir nos livrar de nossos veículos, mas podemos controlar como cuidamos de nossos corpos. Seja pro ativo. É difícil para nós conhecer cada produto químico ou toxina a que estamos expostos diariamente. A chave é fazer tudo o que pudermos para manter nosso corpo o mais saudável possível. Faça uma dieta saudável, exercite-se diariamente, respire fundo algumas vezes e, quando estiver no carro, abra as janelas. Deixe o ar fresco entrar e o ar tóxico sair!

Wendy Miller

As fontes para este artigo incluem:

MedicineNet.com
ChildrensHealthDefense.org
Healthline.com

Algumas maneiras de renovar sua casa com segurança

Se você planeja renovar sua casa no ano novo, seja uma nova pintura ou uma limpeza profunda de cima a baixo, é importante considerar os muitos produtos químicos tóxicos aos quais você pode estar exposto no processo. Aqui estão cinco maneiras de atualizar seu espaço enquanto reduz seus riscos.

Escolha tintas sem VOC

Se você está planejando decorar sua casa ou fazer algum bricolage, opte por tintas, vernizes, enchimentos e outros produtos não tóxicos com os níveis mais baixos de VOC que você puder encontrar. VOCs – compostos orgânicos voláteis – são produtos químicos que liberam vapores prontamente à temperatura ambiente. Eles são um dos principais contribuintes para a poluição do ar interno e têm sido associados a uma série de efeitos à saúde de curto e longo prazo, desde dores de cabeça, tontura e problemas de memória  até asma, eczema e baixa qualidade do esperma. Vários VOCs, como benzeno e formaldeído, são cancerígenos reconhecidos, e outros são suspeitos de serem cancerígenos.

A boa notícia é que várias empresas agora oferecem tintas e outros produtos de decoração que são livres ou praticamente livres de VOCs, bem como outros produtos químicos tóxicos, como ftalatos e metais pesados. 

Fique atento ao chumbo

Outra palavra de cautela se você estiver decorando sua casa ou reciclando móveis vintage: cuidado com o chumbo. Este metal pesado altamente tóxico pode estar escondido em pinturas e vernizes antigos. Antes de lixar superfícies suspeitas, adquira um kit de teste de chumbo. Se houver chumbo, aqui estão algumas dicas para lidar com ele com segurança:

  • Se a pintura estiver em boas condições, você pode simplesmente selá-la com uma camada de tinta moderna sem chumbo. 
  • Se a pintura ou verniz estiver em mau estado e precisar ser removido, certifique-se de não usar métodos que criem poeira ou fumaça, como lixamento a seco ou pistola de ar quente. Em vez disso, experimente um decapante à base de água sem solvente ou chame um profissional experiente. 
  • Sempre use roupas de proteção, luvas e uma máscara facial (adequada para partículas de chumbo) e lembre-se de descartar a tinta ou verniz removido em um recipiente fechado e depois aspirar e limpar a área completamente.  

Afaste o plástico

Frascos e recipientes de armazenamento são uma ótima maneira de se organizar na cozinha, mas escolha vidro ou aço inoxidável em vez de plástico para armazenar alimentos e bebidas. Substâncias químicas nocivas, como bisfenol A (BPA) e ftalatos, podem ser lixiviadas de recipientes de plástico para a substância interna e, finalmente, acabar em seu corpo, onde podem ter efeitos de desregulação hormonal.

Considere também sacos de algodão orgânico para armazenar frutas e legumes, e papel não branqueado como alternativa ao plástico e sacos de sanduíche. E se você comprar alimentos ou bebidas em embalagens plásticas, transfira-os para um recipiente sem plástico quando chegar em casa.

Limpe com segurança

Uma limpeza completa é uma ótima maneira de refrescar sua casa, mas opte por produtos de limpeza naturais e não tóxicos em vez dos convencionais, que geralmente estão repletos de produtos químicos nocivos. 

Um estudo descobriu que 10 a 20 anos de limpeza em casa ou no trabalho são tão ruins para os pulmões quanto fumar um maço de cigarros por dia pela mesma quantidade de tempo. A exposição a produtos de limpeza também tem sido associada à asma, problemas cardíacos, câncer de mama e muito mais. 6

Produtos de limpeza mais seguros e naturais estão agora disponíveis em empresas com políticas rigorosas de ingredientes. Alternativamente, você pode fazer suas próprias soluções usando ingredientes como vinagre, bicarbonato de sódio, suco de limão e óleos essenciais.

Aposte em móveis naturais  

Móveis novos, tapetes, roupas de cama, mantas, cortinas e almofadas podem transformar sua casa, e sempre há grandes pechinchas nas liquidações. Mas tente escolher materiais naturais livres de tratamentos químicos sempre que possível. Tecidos com retardantes de chama, à prova de manchas, à prova de traças e qualquer coisa rotulada como “prensa permanente” ou “resistente a rugas” inevitavelmente trarão uma longa lista de produtos químicos potencialmente nocivos para sua casa. 

De fato, produtos químicos de produtos de consumo, como ftalatos, fenóis, retardadores de chama e substâncias alquílicas per e polifluoradas (PFAS) foram amplamente detectados na população em geral e estão associados a uma série de efeitos à saúde, como toxicidade reprodutiva e hormonal. 7

Verifique diretamente com as empresas para ver se eles adicionam algum tratamento químico ao seus produtos, mas algumas boas opções de tecido a serem observadas incluem lã não tratada, que é naturalmente resistente ao fogo – escolha lã orgânica se possível para evitar pesticidas – e algodão orgânico e cânhamo. Juta, sisal, ervas marinhas e coco funcionam bem para tapetes, enquanto lã, sumaúma, milho e trigo sarraceno são ótimos recheios naturais para almofadas e travesseiros. 

Abandone as fragrâncias artificiais

Você pode pensar que encher sua casa com fragrâncias na forma de velas e purificadores de ar é uma maneira infalível de refrescar seu espaço. Mas o que você está realmente fazendo, se usar os produtos sintéticos padrão, é poluir o ar interno com produtos químicos nocivos. 

Os purificadores de ar, por exemplo, podem conter benzeno (um cancerígeno e possível toxina reprodutiva), tolueno (um irritante da pele e toxina do fígado/rim), terpenos (irritantes e sensibilizadores) e ftalatos (conhecidos desreguladores hormonais) e uso regular desses produtos tem sido associada a dores de ouvido, diarréia e vômitos em bebês, bem como dores de cabeça e depressão em suas mães. 8

Em vez disso, elimine os odores na fonte, se puder, em vez de mascarar os maus cheiros com produtos químicos, e mantenha sua casa bem ventilada. Plantas de casa como lírios da paz, hera inglesa e plantas de aranha são outra boa opção para controle de odor natural, ou experimente uma tigela de vinagre branco no peitoril da janela. Você também pode investir em um purificador de ar, que pode ajudar a remover odores domésticos, bem como poeira, pólen, pelos de animais e COVs. 

Se você quiser usar produtos de fragrâncias para casa, escolha produtos naturais e não tóxicos feitos com óleos essenciais puros.

E não se esqueça de que as fragrâncias podem estar à espreita em todos os tipos de produtos domésticos, desde produtos de limpeza e lavanderia até cosméticos e produtos de higiene pessoal. Mais uma vez, escolher opções naturais ou vá para alternativas livres de fragrância. 

Wddty 122021

Agência de Proteção Ambiental dos EUA, “Impacto dos Compostos Orgânicos Voláteis na Qualidade do Ar Interior”. epa.gov
Eur Respir Rev, 2015; 24(135): 92–101; J Allergy Clin Immunol, 2014; 134: 993–9; discussão 1000; Ocupar Ambiente Med, 2008; 65: 708–14
Res. Ambientais, 2007; 105: 414–29
Environ Sci Technol, 2021; 55: 11814-23; Int J Environ Res Saúde Pública, 2013; 11: 507–26; Philos Trans R Soc Lond B Biol Sci, 2009; 364(1526): 2097–113
Am J Respir Crit Care Med, 2018; 197: 1157-63
Am J Respir Crit Care Med, 2007; 176: 735–41; Perspectiva de Saúde Ambiental, 2012; 120: 958–64; Saúde Ambiental, 2010; 9: 40
7J Epidemiol Saúde Comunitária, 2017; 71: 937-40
8Arch Environment Health, 2003; 58: 633–41

Opções holísticas para o transtorno bipolar

 Anteriormente conhecido como depressão maníaca, o transtorno bipolar afeta mais de 1% da população e é a sexta principal causa de incapacidade em todo o mundo. 1 Um transtorno de humor complexo e crônico, que causa oscilações extremas de humor que incluem sensação de baixa e letargia (depressão) e alta e hiperatividade (mania).  

Medicamentos estabilizadores do humor como o lítio, bem como antipsicóticos, anticonvulsivantes e antidepressivos, são os tratamentos usuais para o transtorno bipolar, mas eles vêm com uma longa lista de efeitos colaterais e muitas vezes não levam os pacientes à remissão a longo prazo. 2

O melhor plano seria trabalhar com um profissional de medicina funcional que possa ajudar a descartar condições subjacentes que possam estar causando ou contribuindo para os sintomas, como distúrbio da tireoide 3 ou deficiência nutricional 4 , bem como examinar os fatores ambientais.  

Mas aqui está um resumo das opções holísticas mais promissoras para o transtorno bipolar. A maioria foi testada junto com a medicação padrão, mas sempre se deve consultar o médico sobre as possíveis interações e quais tratamentos seriam adequados. 

Exercício 

Sabe-se que os exercícios têm efeito antidepressivo. 5 E estudos especificamente em pacientes bipolares descobriram que a atividade física está associada a menos sintomas depressivos e melhor funcionamento e qualidade de vida. 6 No entanto, tome cuidado se você tomar lítio e fizer exercícios vigorosos, pois o lítio pode ser perdido no suor. 7

Reserve um tempo para a atenção plena 

A terapia cognitiva baseada na atenção plena (MBCT), que combina elementos da terapia cognitivo-comportamental com a redução do estresse baseada na atenção plena, está se mostrando promissora para o transtorno bipolar. Descobriu-se que ele alivia a depressão e a ansiedade em pacientes bipolares, bem como melhora o funcionamento cognitivo – como a memória e a capacidade de iniciar e concluir tarefas – que costuma ser prejudicada no transtorno bipolar. 8

Dieta Ceto 

Evidências preliminares sugerem que uma dieta cetogênica, rica em gordura e pobre em carboidratos, pode ser útil para pacientes bipolares. Um estudo de auto-relatos postados online sobre a dieta descobriu que 85 por cento dos comentários relataram um impacto positivo na estabilização do humor. Melhorias relatadas, muitas com duração de meses a anos, incluíram menos episódios de depressão, maior clareza de pensamento e fala, aumento de energia e perda de peso. 9

E estudos de caso de duas mulheres com bipolares seguindo a dieta, que mantiveram cetose (o objetivo da dieta cetogênica – quando há uma alta concentração de cetonas no sangue) por dois a três anos, relataram estabilização do humor além daquela alcançada com a medicação . 10

Idealmente, se você quiser experimentar a dieta, faça-o sob a supervisão de um especialista, como um nutricionista cetogênico.

Evite alimentos processados 

Comer carnes processadas, que contêm nitratos para prevenir o crescimento de bactérias, tem sido associado à mania. E alimentar ratos com carnes processadas resultou em uma “hiperatividade que lembra a mania humana”. 11

Uma alta ingestão de açúcar e xarope de milho com alto teor de frutose (HFCS) também foi implicada na mania e no transtorno bipolar. 12

Procure seguir uma dieta de alimentos integrais, limitando ao máximo os alimentos processados ​​e embalados. 

Considere outros suplementos 

Coenzima Q10 (CoQ10). Acredita-se que o estresse oxidativo e a inflamação desempenhem um papel no transtorno bipolar, portanto, a CoQ10, um potente antioxidante e antiinflamatório, pode ser benéfica. Quando testada contra um placebo como um tratamento complementar para pacientes bipolares, a CoQ10 foi encontrada para melhorar significativamente os sintomas de depressão, bem como marcadores biológicos de inflamação e estresse oxidativo. 15

Dose sugerida: 200 mg / dia 

Vitaminas B. Os baixos níveis de folato (vitamina B9) foram associados ao transtorno bipolar, 16 e os pacientes que tomaram lítio que tomaram suplementos diários de ácido fólico observaram melhorias significativas em seus sintomas em comparação com aqueles que tomaram um placebo. 17 Também há evidências que sugerem que a deficiência de vitamina B12 pode ser a causa dos sintomas maníacos. Relatos de casos descobriram que os sintomas desapareceram completamente quando a deficiência foi corrigida com injeções de B12. 4,18

Dosagem sugerida: teste os níveis primeiro e, em seguida, complemente com uma dosagem apropriada

N-acetilcisteína (NAC). Algumas evidências sugerem que esse aminoácido – usado junto com o tratamento usual – pode ajudar a reduzir os sintomas de depressão em pacientes bipolares, possivelmente por causa de seus efeitos antiinflamatórios. 19

Dose sugerida: 1.000 mg duas vezes / dia

Opte por ômega-3 

Os ácidos graxos ômega-3, encontrados no óleo de peixe, têm um efeito antidepressivo em pacientes com transtorno bipolar. 13 Em um estudo, aqueles que receberam altas doses de ômega-3 além do tratamento usual observaram melhorias significativas em comparação com aqueles que receberam um placebo. 14

Dosagem sugerida: experimente um suplemento de alta qualidade, que forneça 3.500 mg de ômega-3 por colher de chá preferencialmente.

Cuidado com os metais pesados 

Altos níveis de cádmio (encontrados no tabaco, alimentos e água potável) e chumbo (encontrados em tintas velhas, cosméticos, alimentos e água potável) foram associados ao transtorno bipolar. 20 Reduzir sua exposição a metais pesados ​​e ajudar seu corpo a se desintoxicar naturalmente pode ser benéfico. Conseguir um filtro de água é um bom ponto de partida, e suplementos de algas Chlorella também podem ajudar. 21 

Veja a luz 

A terapia de luz brilhante, originalmente usada para tratar pacientes com transtorno afetivo sazonal (SAD), parece ser eficaz para o transtorno bipolar. Em uma revisão de 12 estudos, a terapia reduziu significativamente os sintomas depressivos quando uma intensidade de luz de 5.000 lux ou mais foi usada. 22 

Wddty 10/2021

Referências
Epilepsia, 2005; 46 Suplemento 4: 8–13; Can J Psychiatry, 2004; 49: 124–38; Harv Rev Psychiatry, 2006; 14: 273–84; A carga global de doenças: Uma avaliação abrangente da mortalidade e incapacidade por doenças, lesões e fatores de risco em 1990 e projetada para 2020. Harvard University Press; 1996
J Clin Psychiatry, 1996; 57: 292–7; Am J Psychiatry, 1995; 152: 1635-40
J Affect Disord, 2017; 221: 97–106
Prim Care Companion J Clin Psychiatry, 2007; 9: 238
Psychosom Med, 2007; 69: 587-96
J Affect Disord, 2016; 198: 32-8
Am J Psychiatry, 1982; 139: 1593–5
J Psychiatr Pract, 2011; 17: 410–9; Psychiatry Res, 2020; 290: 113116
BJPsych Open, 2019; 5: e58
10Neurocase, 2013; 19: 423-6
11 Mol Psychiatry, 2020; 25: 560-71
12Evol Hum Behav, 2021; 42: 194–203
13J Clin Psychiatry, 2007; 68: 1056–61
14Arch Gen Psychiatry, 1999; 56: 407–12
15J Clin Psychopharmacol, 2018; 38: 460–6; Mol Biol Rep, 2019; 46: 5333-43
16BMC Psychiatry, 2019; 19: 305
17J Affect Disord, 1986; 10: 9-13 
18Am J Psychiatry, 1984; 141: 300-1
19J Affect Disord, 2011; 135: 389–94; Psychiatry Res, 2018; 263: 268-74
20J Trace Elem Med Biol, 2011; 25 Suplemento 1: S78-83
21Nutrients, 2015; 7: 552–571; Nutr Res Pract, primavera de 2009; 3: 15-22
22PLoS One, 2020; 15: e0232798

O que está causando o rápido declínio das taxas de natalidade e a redução da fertilidade (de acordo com um estudo recente)

As taxas de natalidade estão diminuindo em todo o mundo. De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos, a taxa de natalidade do país caiu cerca de 4% em 2020; os especialistas também projetam cerca de 300.000 nascimentos americanos a menos do que o normal em 2021.

Mas isso não é apenas uma questão de as mulheres escolherem adiar a gravidez, sugerem os dados . A proliferação de produtos químicos industriais e toxinas ambientais associadas a problemas de fertilidade também parece prejudicar a saúde e a reprodução das mulheres.

Centenas de produtos químicos industriais comuns ligados à diminuição da quantidade de óvulos e problemas de infertilidade entre as mulheres

O Pew Research Center chama isso de “busto de bebê”. As taxas de natalidade estão diminuindo em algumas partes do mundo de forma tão significativa que estão caindo abaixo dos níveis de repovoamento, que se refere ao número de filhos por mulher necessários para manter a estabilidade populacional.

Nos Estados Unidos, diz o Pew Research Center, a taxa de fertilidade atingiu uma baixa recorde em 2019 (pré-pandemia), marcando o quinto ano consecutivo em que as taxas de fertilidade caíram. Eles citam fatores como atrasos no casamento, maior busca por ensino superior e “efeitos prolongados da Grande Recessão” como razões pelas quais essas taxas caem tão precipitadamente. Mas, como explica a Children’s Health Defense, nenhuma conversa sobre fertilidade feminina pode acontecer sem falar também sobre a exposição das mulheres a produtos químicos ambientais .

A verdade é que as mulheres são expostas a vários milhares de produtos químicos ambientais – muitos dos quais são tóxicos conhecidos – ao longo de suas vidas. Os efeitos cumulativos dessas toxinas contribuem para as crescentes preocupações com a redução da qualidade e quantidade dos óvulos, infertilidade e problemas de saúde infantil, afirma a pesquisa.

Em uma revisão de 2019 publicada na  Fertility and Sterility, uma dupla de pesquisadores do Center for Reproductive Health da University of California, em San Francisco, destacou os efeitos prejudiciais à saúde de uma série de toxinas ambientais comuns, incluindo:

  • Mercúrio
  • Cádmio
  • Chumbo
  • Pesticidas
  • Produtos químicos desreguladores endócrinos, incluindo bisfenol A, ftalatos, PBDEs

Encontrados em mais de 90% da população humana , esses produtos químicos estão ligados a tudo, desde defeitos congênitos e perda de gravidez até a puberdade precoce em crianças do sexo feminino, problemas emocionais em crianças do sexo masculino e neurodesenvolvimento fetal anormal.

A Children’s Health Defense também citou um estudo recente em que avaliaram a quantidade de óvulos de 60 mulheres submetidas a cesarianas. A pesquisa revelou “conexões significativas” entre menor contagem de ovos e maiores concentrações de PBDE (um retardador de chama), PCB (encontrado em refrigerantes) e DDE (um subproduto do DDT). Essa conexão persistiu mesmo depois de levar em conta o declínio natural relacionado à idade na quantidade de ovos, sugerindo que a exposição a toxinas ambientais é um risco à saúde do qual mulheres de todas as idades devem estar cientes.

O que pode ser feito? Aqui estão maneiras simples de diminuir sua exposição tóxica e apoiar a fertilidade

Dada a grande quantidade de poluição do ar, práticas agrícolas convencionais e outras ameaças ambientais que enfrentamos, é virtualmente impossível eliminar completamente nossa exposição a toxinas. Mas se você é uma mulher que está grávida, tentando engravidar ou pode engravidar algum dia, existem algumas estratégias simples que você pode seguir para minimizar sua exposição o máximo possível:

  • Tire os sapatos antes de entrar em sua casa
  • Compre frutas e vegetais orgânicos quando possível e lave bem os produtos antes de comer
  • Evite alimentos processados ​​e enlatados
  • Nunca coloque recipientes de plástico para alimentos no microondas, nem os coloque na máquina de lavar – melhor ainda, livre-se dos recipientes de plástico para alimentos e substitua-os por opções de vidro ou aço inoxidável
  • Evite tocar nos recibos da caixa registradora
  • Dê uma olhada em todos os seus produtos domésticos e cosméticos e substitua-os por opções mais seguras (procure por frases-chave como “sem ftalato” e “sem fragrância”)
  • Evite comprar móveis, cortinas e tapetes novos durante a gravidez e sempre pergunte se eles contêm retardadores de chama
  • Use um filtro HEPA de alta qualidade para sua casa

Sara Middleton

As fontes deste artigo incluem:

Childrenshealthdefense.org
Europa.eu
Pewresearch.org
Fertstert.org
CDC.gov 

OBSI.: O texto é baseado no estudo que focou mais a questão da saúde da mulher. Mas,                 igualmente, o homem precisa também de cuidados similares.

OBSII.: Temos muitas soluções (protocolos, terapias) para a desintoxicação do corpo. Consulte!

“Detox” – do que tanto temos que nos desintoxicar e sete maneiras de como efetuar esse processo.

No poluído do século XXI, vivemos rodeados por substâncias químicas artificiais que nossos corpos não estão evoluídos para lidar. Cerca de 80.000 a 100.000 foram sintetizadas desde a Revolução Industrial. Elas são de uso comum e encontram seu caminho em nosso ar, água, solo e alimentos e, finalmente, em nós. 

Vapores de carros, resíduos industriais, pesticidas, metais tóxicos ​​- estamos expostos a tudo isso e muito mais com muito pouca escolha. Depois, há os produtos químicos tóxicos aos quais nos expomos voluntariamente, mas em feliz ignorância – nosso perfume ou loção pós-barba, desodorante e spray de cabelo, os líquidos de limpeza da cozinha sob a pia, o removedor de manchas, o óleo de carro, o desodorizante que borrifamos o banheiro. Todas essas substâncias são estranhas ao corpo humano e se acumulam com o passar dos anos, podendo nos causar sérios danos. 

Aqui está um guia para alguns dos principais poluentes a serem observados e como desintoxicar com eficácia. 

Metais tóxicos

Mercúrio

Fontes: O mercúrio é encontrado em alguns peixes, notadamente no atum, bem como em obturações dentárias de amálgama de “prata”, termômetros quebrados, efluentes industriais e em antigos estoques de vacinação na forma de “timerosal” 

Efeitos: sintomas neurológicos e psiquiátricos, 1 sangramento nas gengivas, gosto metálico na boca, distúrbios intestinais, zumbido, doença autoimune e muito mais

Chumbo  

Fontes: pintura de casa velha, canos velhos, cosméticos (especialmente branqueadores de pele), brinquedos importados, emissões de fábrica, queima de carvão e muito mais

Efeitos: dor intestinal, problemas intestinais, náuseas e vômitos, atraso no desenvolvimento, impulsividade / agressão, 2 problemas de memória e aprendizagem, fraqueza / fadiga muscular, insônia, anemia, patologia semelhante a Alzheimer e muito mais

Níquel  

Fontes: panelas e frigideiras de aço inoxidável (o aço inoxidável tem 14 por cento de níquel), moedas, aparelhos ortodônticos, joias baratas, margarina, fumaça de cigarro, baterias, galvanoplastia, combustão de combustível fóssil, fumaça de escapamento de automóveis (na verdade, praticamente todos os metais tóxicos foram encontrado na exaustão de gasolina / diesel)

Efeitos: câncer, 3 especialmente de mama e pulmão, hipoglicemia, deficiência de zinco, deficiência de manganês, sensibilidade cutânea / alergia ao níquel, desregulação endócrina (hormônio), doenças do coração, rins e sistema imunológico

Alumínio  

Fontes: desodorantes / antitranspirantes, potes e panelas de alumínio, como adjuvante em algumas vacinações, cozinhar / embrulhar alimentos em papel alumínio, alguns medicamentos antiácidos, latas de bebidas de alumínio, recipientes para viagem, cosméticos

Efeitos: Demência / Alzheimer em adultos, dano neurológico / atraso em crianças, 4 câncer de mama, 5 autoimunidade, dano renal / hepático / ósseo, dano cardíaco / pulmonar, desregulação endócrina, dano ao DNA

Cádmio

Fontes: fumaça de tabaco, queima de combustíveis fósseis e pneus, tinta amarela (incluindo tinta de artista), alguns fertilizantes, brinquedos, cosméticos, algumas fórmulas infantis à base de soja, forro de carpete

Efeitos: dor e lesão óssea, 6 lesões em vários órgãos, dores de cabeça, queda de cabelo, disrupção endócrina, câncer ginecológico e câncer pancreático, 7 deficiência de zinco

Compostos sintéticos 

Esses compostos estão ao nosso redor e muitos deles entramos em contato diariamente.

Muitos contêm substâncias classificadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como cancerígenas (produtos químicos que causam câncer), teratogênias (produtos químicos que causam defeitos de nascença) ou compostos desreguladores endócrinos (EDCs; produtos químicos que interferem com nossos hormônios). Muitos são neurotoxinas. E muitos são poluentes orgânicos persistentes, ou POPs; eles ainda são encontrados em nosso solo e em nossos corpos décadas depois de serem banidos. 

Compostos sintéticos tóxicos  

Alguns dos principais compostos sintéticos preocupantes incluem: 

  • Poluentes atmosféricos, tanto externos quanto internos  
  • Biocidas – pesticidas, herbicidas (herbicidas), fungicidas, inseticidas  
  • Plásticos e plastificantes  
  • Produtos de cuidado pessoal  
  • Perfumes  
  • Produtos capilares  
  • Produtos químicos para lavanderia  
  • Fluidos de lavagem a seco 
  • Materiais de construção  
  • Materiais de decoração  
  • Tintas, vernizes, colas  
  • Produtos químicos para limpeza doméstica  
  • Detergentes e desinfetantes  
  • Drogas  
  • Aditivos alimentares 

Como as toxinas causam danos? 

Existem vários mecanismos pelos quais os poluentes tóxicos podem nos prejudicar, por:  

  • Atuando como antinutrientes  
  • Ocupando locais ativos em moléculas de enzima  
  • Ocupando locais de receptor de hormônio  
  • Interferindo na sinalização celular  
  • Causando formação anormal de proteínas e reações auto-imunes  
  • Levando à produção de metabólitos ainda mais tóxicos  
  • Danificando o DNA, alterando a expressão do gene  
  • Danificar a estrutura da membrana celular  
  • Promovendo inflamação e dano oxidativo às células

Como desintoxicar 

Aqui estão os sete métodos principais que recomendo para desintoxicação. Mas antes de começar, você precisa fazer três outras coisas: 

1. Evite e substitua.   Tente identificar quais toxinas você acha que foi exposto / está sendo exposto e evite-as tanto quanto possível. Isso inclui a substituição de versões tóxicas de itens diários como perfume, pasta de dente e potes e panelas de alumínio por versões mais seguras e alimentação orgânica. Claro, não é possível evitar totalmente os poluentes. Mas, para que a desintoxicação seja bem-sucedida, você deve tentar evitar. 

2. Cuide de sua alimentação. As toxinas são muito mais perigosas para pessoas desnutridas do que para pessoas bem nutridas. Baixos níveis de minerais essenciais proporcionarão aos metais pesados ​​acesso fácil ao seu sistema, por exemplo. Por outro lado, bons níveis de vitaminas e minerais essenciais irão protegê-lo. 

3. Cuide de seu intestino. Bactérias amigáveis ​​o ajudarão a desintoxicar; vermes intestinais hostis impedirão o processo. 

Sete maneiras de desintoxicar

1) Saunas 

A transpiração é a melhor maneira de eliminar as toxinas, especialmente as toxinas solúveis em gordura. Tudo o que estimula a transpiração é bom, principalmente exercícios e saunas. É muito importante limpar o suor a cada poucos minutos, caso contrário, as toxinas liberadas dos tecidos para a pele serão simplesmente reabsorvidas. Apenas 5–10 minutos na sauna são suficientes, idealmente três vezes por semana durante alguns meses. 

Seu centro de lazer local ou ginásio deve ter uma sauna. Tem que ser a sauna, não a sauna a vapor, porque o suor tem que poder evaporar. Sempre leve algumas toalhas grandes para a sauna, uma para sentar e outra para enxugar o suor regularmente. Após a sauna, coloque-os na lavanderia e, em seguida, tome um banho. 

Logo após a sauna, é necessário repor não só a água, mas também os principais minerais que se perderam com o suor. Portanto, tome uma solução eletrolítica (mineral) como o concentrado eletrolítico, que substitui não apenas o sódio e o cloreto, mas também o potássio e o magnésio.

Para as pessoas que não podem usar uma sauna comum, como aquelas com fadiga crônica / encefalomielite miálgica severa, existe uma boa alternativa, chamada sauna de infravermelho distante. Existem várias versões da sauna de infravermelho distante, e elas podem ser caras, então veja se há uma opção de alugar por um tempo antes de comprar.  

2) Banhos de sais de Epsom 

Os sais de Epsom são sulfato de magnésio, e se você colocar ½ lb a 1 lb (aproximadamente 250-500 g) de sais de Epsom no banho todas as noites ou a cada duas noites por alguns meses, e ficar deitado por 20-30 minutos, você absorverá uma quantidade substancial de sulfato de magnésio pela pele. 

Quase todos nós temos deficiência de magnésio, por motivos relacionados à dieta, estresse e poluição, e é mais fácil absorvê-lo pela pele do que por via oral.  

O magnésio é vital para o relaxamento dos músculos, manutenção do açúcar no sangue normal, estrutura óssea e pelo menos 100 reações enzimáticas cruciais dentro do corpo. Mas também ajuda a expulsar os metais tóxicos do corpo. 

O sulfato, que é o outro componente dos sais de Epsom, também é extremamente útil, pois auxilia algumas das vias de desintoxicação do fígado. Algumas pessoas sensíveis ao sulfato podem não ser capazes de tomá-lo, mas isso é bastante incomum. 

Não use sabonete, xampu ou qualquer outro produto em um banho de sais de Epsom. O sabão pode se combinar com os sais de Epsom e criar escória. Tome banho primeiro, se necessário, mas o objetivo do banho de sais de Epsom é embeber e absorver o sulfato de magnésio – não lavar. Apague as luzes, acenda uma vela, utilize um pouco de óleo essencial de lavanda, rosa ou o que quiser, massageie-se um pouco e divirta-se! 

3) Suco de vegetais 

Isso significa fazer em casa seu próprio suco de vegetais crus, orgânicos e verdes. Compre um espremedor de sucos de boa qualidade (detalhes abaixo) e use apenas vegetais cultivados organicamente. Caso contrário, você estará eliminando resíduos de pesticidas, o que vai contra o ponto. Veja a caixa à direita para alguns exemplos de vegetais a serem usados.

Inicialmente, você desejará obter um equilíbrio entre os vegetais doces, como cenoura e beterraba, e as folhas verdes escuras. À medida que você se acostuma, use gradualmente mais do último e menos do primeiro, idealmente até que o suco seja apenas ingredientes verdes. Experimente combinações diferentes, mas não adicione frutas, a menos que seja uma lasca muito fina de maçã ou um suco de limão espremido. Suco de frutas vai dar a você uma “dose de açúcar” demais. 

O objetivo do suco de vegetais é limpar o intestino e, portanto, o fígado, para dar ao fígado a capacidade máxima de realizar seu trabalho de desintoxicação. O suco também fornece uma fonte fresca e concentrada de vitaminas, minerais e antioxidantes naturais, que precisamos para extinguir os radicais livres tóxicos em nosso corpo. 

Um bom suprimento de antioxidantes é essencial para qualquer programa de desintoxicação, e nenhum suplemento pode substituir a bondade que você obtém de suco de vegetais feito na hora. 

Se os vegetais saíram direto da geladeira, pode ser necessário adicionar um pouco de água quente da chaleira e mexer antes de beber. Não é bom beber nada frio. No inverno, você pode simplesmente tirar os vegetais da geladeira na noite anterior. 

Comece com meio litro e aumente para meio litro. Não beba tudo de uma vez; beba delicadamente durante alguns minutos. O suco não deve, idealmente, ser feito com horas de antecedência, ou perderá muito de seu poder antioxidante. 

Qual espremedor de sumos obter? Você precisa de um espremedor mastigador, não centrífugo. Os centrífugos são projetados para frutas e vegetais com pedaços, como cenouras, enquanto você precisa de um que extraia o máximo de suco das folhas verdes – e esse é um espremedor de sucos mastigável. 

Um espremedor não é o mesmo que um liquidificador. Liquidificadores fazem smoothies de vegetais, não suco de vegetais. Os smoothies ainda contêm toda a fibra vegetal crua, o que é bom para as entranhas de algumas pessoas, mas não para outras, e você pode obter a fibra crua simplesmente comendo uma salada de qualquer maneira. Um fazedor de smoothie apenaspicota sua salada bem pequena para você, enquanto um espremedor extrai muito mais dos fitonutrientes benéficos das folhas verdes, então é mais valioso para nutrição e desintoxicação. 

Os melhores vegetais para fazer sucos

  • Salsão  
  • Pepino   
  • Alface (especialmente as folhas externas escuras)  
  • Agrião  
  • Salsa  
  • Rúcula (foguete)  
  • Brotos de alfafa  
  • Espinafre bebê  
  • Outras folhas de salada  
  • Couve  
  • Repolho  
  • Tomates (a menos que você seja alérgico a eles)  
  • Pequenas quantidades de vegetais mais doces, como beterraba, cenoura ou pimentão vermelho  

4) Brotação 

A desintoxicação pode ocasionalmente drenar os minerais bons de seu sistema, bem como os metais pesados ​​tóxicos. A melhor maneira de evitar isso, além de tomar os suplementos necessários, é fazer brotar suas próprias sementes e feijão. Isso é muito fácil e é uma boa prática para a vida, não apenas para o período de desintoxicação. É como ter um jardim pequeno e orgânico em sua cozinha. Imensamente benéfico nutricionalmente.

5) Hidroterapia / irrigação do cólon  

O principal órgão de desintoxicação é o fígado. Você não pode lavar o fígado, mas pode lavar o cólon, e há uma circulação sangüínea ativa do cólon para o fígado, então essa é a segunda melhor opção. 

A ideia é tornar o suprimento de sangue que chega ao fígado do cólon o mais puro possível, minimizando a quantidade que o fígado tem para desintoxicar, maximizando assim sua capacidade de desintoxicar o que resta.  

O cólon é o principal órgão de eliminação e muitas toxinas podem ser eliminadas diretamente pelo intestino. Além disso, a hidroterapia colônica tonifica o músculo da parede intestinal e o faz funcionar de maneira mais eficiente, além de remover a “placa” que pode ter se acumulado no revestimento ao longo de décadas de função intestinal ineficiente. 

Mas não expulsa as bactérias benéficas, assim como a rega do jardim não elimina as plantas. 

As bactérias intestinais significativas estão embutidas no revestimento do cólon, não flutuando soltas!  

Só faz sentido começar a hidroterapia do cólon depois de limpar sua dieta. Uma melhoria no que entra em seu sistema na extremidade superior significa que você obterá muito mais valor limpando a extremidade inferior.

Você não pode usar a hidroterapia do cólon como um substituto para comer alimentos saudáveis, nem como uma ferramenta para perder peso. Nem deve fazer isso repetidamente; após as primeiras três ou quatro sessões, deve ser um tratamento ocasional, talvez três ou quatro vezes por ano. Existem certas pessoas para as quais não é adequado, incluindo menores de 18 anos ou qualquer pessoa com doença inflamatória intestinal (colite ulcerosa ou doença de Crohn). 

Certifique-se de encontrar um médico totalmente qualificado e fale com ele antes de fazer a reserva; é um procedimento íntimo e é vital que você se sinta confortável com o médico antes de começar. 

6) Suplementos específicos 

Certos suplementos são quase sempre úteis para ajudar no processo de desintoxicação. Esses incluem:

Vitaminas B: para ajudar nas vias de metilação que são cruciais para a desintoxicação

Zinco e magnésio: para ajudar na defesa contra metais tóxicos

Fosfatidilcolina (PC): para ajudar a remover toxinas solúveis em gordura

Glutationa: para muitas das vias de desintoxicação do fígado. (Variamos em nossa capacidade de produzir glutationa.

Cardo mariano: para ajudar o fígado a eliminar virtualmente qualquer toxina

Aqui está o que usar para ajudar a eliminar metais pesados ​​específicos:

Sílica: para se livrar do alumínio

Zinco, vitamina C e PC: para se livrar do cádmio. Mas o cádmio é muito lento para ir embora, e você pode precisar da ajuda de um especialista para isso, incluindo tratamento intravenoso, se você já foi fumante em algum momento da sua vida

Zinco: para excesso de cobre (de pílulas anticoncepcionais ou do DIU de bobina de cobre)

Selênio, enxofre, iodo, zinco, vitamina C, PC, Chlorella e coentro (coentro): para toxicidade de mercúrio. Certifique-se de que o coentro é cultivado organicamente. O coentro é tão bom em coletar metais tóxicos do solo quanto em nossos corpos, por isso só é seguro e eficaz se tiver sido cultivado em solo não contaminado (ou seja, orgânico)

Zinco, vitamina C, PC e cálcio: para se livrar do chumbo. Mas verifique primeiro o seu nível de magnésio. Você provavelmente nunca vai tirar todo o chumbo, pois ele se esconde nos ossos

Zinco, vitamina C e o aminoácido metionina: para a desintoxicação do níquel.

7) Vitamina C em altas doses 

Para se livrar de metais pesados ​​e combater / prevenir infecções bacterianas e virais, a vitamina C é inestimável, mas para ser eficaz, você precisa usá-la como um medicamento em vez de um suplemento, e isso significa tomá-la em doses mais altas do que você precisa regularmente manutenção nutricional. 

Você precisa aumentar a dose diária de forma gradual e sistemática, para descobrir sua “tolerância intestinal”.

Esta dose varia muito entre as pessoas; algumas pessoas podem comer apenas um grama por dia, em doses divididas, mas as pessoas com tendência ao longo da vida à constipação geralmente ficam bem com 6 ou até 10 gramas por dia. É um ótimo tratamento para constipação e disbiose intestinal em geral, e é um poderoso antimicrobiano. 

Quanto mais você distribuir as doses de vitamina C ao longo do dia, mais poderá ingerir; é solúvel em água, por isso não dura muito. O corpo elimina o que não pode ser usado pela urina em questão de horas. 

Você precisa disso com frequência, mas provavelmente não há vantagem em ingerir mais de 2 gramas de uma vez na maioria das situações. 

Como tomar vitamina C em altas doses

Obtenha uma vitamina C de boa qualidade na forma de ascorbato, não de ácido ascórbico. O ácido ascórbico pode ser mais barato, mas pode ser áspero para o estômago. Na forma de ascorbato, a vitamina C é “tamponada” ao ser combinada com um mineral como magnésio ou potássio. Então você está procurando por ascorbato de magnésio ou pó de ascorbato de potássio. 

Não adquira uma variedade efervescente, colorida e com sabor; você não quer os aditivos artificiais lá. Ascorbato puro. 

Por que pó, não cápsulas? Porque as grandes doses de vitamina C de que você precisa para fins de desintoxicação e antimicrobianos (em oposição à dosagem muito mais baixa para manutenção nutricional regular) exigiriam que você engolisse muitas cápsulas, sobrecarregando seu sistema digestivo com metilcelulose (o material que a maioria das cápsulas são feitas de).   

Dissolva a vitamina C em pó em água ou suco de vegetais.

Veja como aumentar a quantidade, ao longo de um período de seis dias (uma colher de chá custa cerca de 3 g):

Dia 1: 1 g no café da manhã 

Dia 2: 1 g no café da manhã, 1 g no jantar 

Dia 3: 1 g no café da manhã, 1 g no almoço, 1 g no jantar 

Dia 4: 2 g no café da manhã, 1 g no almoço, 1 g no jantar 

Dia 5: 2 g no café da manhã, 1 g no almoço, 2 g no jantar 

Dia 6 e seguintes: 2 g em cada refeição 

A maioria das pessoas não precisará subir mais do que isso. Se em qualquer ponto desse esquema crescente você tiver diarreia, pode ter excedido sua “tolerância intestinal” à vitamina C. Portanto, reduza para a dose do dia anterior e mantenha-a; esse é o seu máximo pessoal. 

Na prática, acho muito raro a tolerância intestinal ser tão baixa quanto 6 g por dia, desde que as doses sejam distribuídas. Se você esquecer a dose da hora do almoço, não duplique no jantar. Se você esqueceu, você esqueceu. 

Você não precisa fazer isso por mais de alguns meses. Depois disso, você pode diminuir um pouco para menos do que essas doses. Se você se sentir esgotado, ou se as pessoas ao seu redor estiverem com tosse e resfriados, você pode aumentá-lo novamente conforme necessário para apoiar suas defesas imunológicas.

Extraído de Staying Alive in Toxic Times: um guia sazonal para a saúde ao longo da vida, da Dra. Jenny Goodman (Yellow Kite, 2020)

Neurotoxicol, 1988; 9: 1–8; Neurotoxicol, 1997; 18: 315-24
JAMA, 1996; 275: 363–69; Pharmacol Biochem Behav, 1998; 60: 545–52
J Environ Monit, 2003; 5: 190–7; Toxicol Ind Health, 2008; 24: 603–10
J Trace Elem Med Biol, 2018; 4: 76-82
J Inorg Biochem, 2013; 128: 257–61
Environ Res, 2019; 176: 108539
Environ Int, 2019; 128: 353-61

Cores artificiais desencadeiam comportamentos humanos indesejados

 Na década de 1970, o Dr. Ben F. Feingold, um médico da Kaiser Permanente, percebeu a ligação entre o comportamento e as cores artificiais. Alguns médicos abraçaram seus estudos e começaram a recomendar dietas especiais, no entanto, muitos médicos descobriram que não havia evidências suficientes e não recomendaram a abstenção desses produtos químicos.

Muitos anos atrás, um amigo meu publicou um artigo sobre cores artificiais e o fato desconhecido de que quase todas elas contêm chumbo, mercúrio e arsênico – junto com uma grande variedade de outros produtos químicos. Desde então, mais pesquisas foram publicadas afirmando que as cores artificiais afetam o comportamento , especialmente para aquelas crianças que consomem alimentos carregados com esses produtos químicos diariamente.

Como pode a Food and Drug Administration permitir que isso aconteça?

A edição de fevereiro de 2014 da Clinical Pediatrics declarou que o número de corantes alimentares artificiais certificados pela Food and Drug Administration (FDA) aumentou mais de cinco vezes de 1950 a 2012. Eles afirmam ainda que os ensaios duplo-cegos com corantes artificiais observaram comportamento reações como hiperatividade.

A Nutritional Review descobriu que, quando as crianças consumiam cores artificiais, aquelas com TDAH tinham menos atenção, eram mais impulsivas e aumentavam a hiperatividade. Ambos os estudos e um artigo publicado na Neurotherapeutics descobriram que as cores artificiais na verdade afetam mais crianças do que apenas aquelas com diagnóstico de TDAH, e ambos acreditam que é um ‘problema de saúde pública’.

Não desperdice seu dinheiro com produtos venenosos

As cores artificiais são generalizadas. Eles estão em doces, suplementos, medicamentos, cereais, iogurte, barras de café da manhã, queijo, pão, marshmallows, sabonetes e xampus (para citar alguns exemplos).

Diariamente, as crianças entram em contato com tudo isso, o que pode ter um efeito sinérgico sobre elas. Por exemplo, uma criança acorda, come cereal com corantes artificiais, toma sua vitamina mastigável, escova os dentes com pasta de dente, todos contendo esses produtos químicos insidiosos, e depois vai para a escola. Enquanto estão lá, comem seus rolos de frutas ou sanduíches que contêm esses produtos químicos e ficam hiperativos quando voltam para a aula.

Eles então voltam para casa e tomam um suco de uva e comem macarrão com queijo, ambos com cores artificiais. Mais tarde, eles também tomam banho usando sabonete com ingredientes perigosos semelhantes. Dia após dia, isso pode ser um grande fardo para um pequeno corpo.

A melhor maneira de evitar cores artificiais

Comprar produtos orgânicos, frutas, vegetais e carnes é uma maneira. Se você quiser comprar lanches para seus filhos, compre também aqueles orgânicos. Existem muitas marcas de salgadinhos orgânicos que não contêm corantes artificiais.

Certifique-se de escolher um suplemento nutricional de boa qualidade – sem corantes artificiais e aspartame plus, se seu filho precisar de medicamentos por qualquer motivo, encontre uma farmácia de manipulação que possa prepará-lo para você sem quaisquer corantes.

Estes são alguns dos poderosos benefícios do uso de cores naturais na dieta

Às vezes, seu filho realmente quer adicionar cor – como se você estivesse fazendo massinhas caseiras ou colorindo ovos de Páscoa. Existem cores naturais que podem ser usadas e você pode comprá-las em sua loja local de produtos naturais, on-line ou mesmo fabricá-las você mesmo.  A cúrcuma, por exemplo, é usada como corante alimentar amarelo natural. Usar plantas do seu jardim para obter outras cores também é uma possibilidade.

Como sabemos que as crianças sofrem o impacto de cores artificiais e sabemos que esses produtos químicos contêm chumbo, mercúrio e arsênico, é essencial reduzi-los e, eventualmente, eliminá-los da dieta de seus filhos. Você pode ficar agradavelmente surpreso com a mudança positiva no comportamento deles e com o menor número de casos de doenças que eles terão.

Usar a terapia CEASE para ajudar as crianças a desintoxicar as cores artificiais tem sido bastante eficaz, e adicionar suplementos como o ômega-3 pode ajudar ainda mais as crianças que estão enfrentando problemas de comportamento.

Sobre o autor: Sima Ash do Healing 4 Soul é um homeopata clínico clássico e nutricionista clínico certificado que utiliza uma abordagem única iniciada por Tinus Smits, MD chamada terapia CEASE. O tratamento CEASE tem como objetivo desintoxicar sistematicamente as causas da doença, levando à melhoria passo a passo e à restauração da saúde do indivíduo. 

Nota Daniel Juliano Fleck: temos opções de tratamentos para desintoxicação de metais tóxicos, solventes e outras intoxicações citadas acima – consulte!

Fontes para este artigo:

TownsendLetter.com
NIH.gov
NIH.gov
NIH.gov

Mulheres colocam em média 168 produtos químicos diariamente em seus corpos (dentre cosméticos e produtos de cuidados pessoais)

Quase 13.000 produtos químicos são usados em cosméticos e apenas 10% foram avaliados a respeito de sua segurança.

Uma mulher comum usa 12 produtos para cuidados pessoais e/ou cosméticos por dia, contendo 168 produtos químicos diferentes, de acordo com o Environmental Working Group (EWG). Enquanto a maioria dos homens usa menos produtos, eles ainda estão expostos a cerca de 85 de tais produtos químicos diariamente, enquanto que adolescentes, usam em média 17 produtos para cuidados pessoais por dia, estão ainda mais expostos.

Claramente, tais exposições químicas não são insignificantes, especialmente quando ocorrem praticamente todos os dias por toda a vida. Quando o EWG examinou adolescentes para verificar quais produtos químicos provenientes de produtos de higiene pessoal foram encontrados em seus corpos, foram detectados 16 produtos químicos diferentes, como parabenos e ftalatos.

Existem ainda outros riscos químicos. Por exemplo, em 2000, o EWG divulgou um estudo mostrando que 37 esmaltes de 22 empresas continham dibutilftalato (DBP). O DBP é conhecido por causar danos reprodutivos ao longo da vida em ratos machos, e demonstrou danificar os testículos, próstata, epidídimo, pênis e vesículas seminais em animais.

Ele é usado em esmaltes porque aumenta a flexibilidade e o brilho, mas pesquisas realizadas pelo Disease Control and Prevention Center (CDC) (Centro de Prevenção e Controle de Doenças) dos EUA revelaram que todas as 289 pessoas examinadas tinham DBP em seus corpos. Pior ainda, este produto químico, associado a defeitos congênitos em animais, foi encontrado nos níveis mais altos em mulheres em idade fértil.

Enquanto isso, no relatório “Heavy Metal Hazard: The Health Risks of Hidden Heavy Metals in Face Makeup” (Risco de Metais Pesados: Riscos para a Saúde Causados por Metais Pesados Ocultos em Maquiagem Facial “) a Environmental Defense (Defesa Ambiental) testou 49 itens de maquiagem diferentes, incluindo bases, corretivos, pós, blushes, máscaras, lápis de olho, sombras, batons e gloss labial. Seus testes revelaram grave contaminação por metais pesados em praticamente todos os produtos:

  • 96 por cento continham chumbo
  • 90 por cento continham berílio
  • 61 por cento continham tálio
  • 51 por cento continham cádmio
  • 20 por cento continha arsênico

Identificou-se que mulheres com níveis mais altos de substâncias químicas em seus corpos entraram na menopausa dois a quatro anos mais cedo do que mulheres com níveis mais baixos. Quinze produtos químicos em particular (incluindo nove PCBs, três pesticidas, dois ftalatos e um furano) foram significativamente associados à menopausa precoce, o que sugere declínio precoce da função ovariana.

Além de levar à menopausa precoce, declínio precoce da função ovariana pode levar ao desenvolvimento precoce de doenças cardíacas e osteoporose. Muitas das substâncias químicas mencionadas no estudo já foram associadas a riscos à saúde, incluindo câncer, síndrome metabólica e puberdade precoce.

Quais São Alguns dos Produtos Químicos Mais Tóxicos em seus Cosméticos?

Alguns dos produtos químicos mais perigosos encontrados em muitos produtos de higiene pessoal e cosméticos são:

•Parabeno, substância química encontrada em desodorantes, loções, produtos capilares e cosméticos, demonstrou imitar a ação do hormônio feminino estrogênio, que pode impulsionar o crescimento de tumores humanos de mama. Estudo publicado em 2012 sugeriu que parabenos encontrados em antitranspirantes e outros cosméticos de fato parecem aumentar o risco de desenvolvimento de câncer de mama.

Pesquisa analisou onde tumores de mama estavam aparecendo e determinou que concentrações mais altas de parabenos foram encontradas nos quadrantes superiores da mama e área axilar, onde os antitranspirantes são geralmente aplicados.

Lauril sulfato de sódio, surfactante, detergente e emulsificante usado em milhares de produtos cosméticos, assim como em produtos de limpeza industriais. Está presente em quase todos os xampus, tratamentos para couro cabeludo, tinturas para cabelo e agentes branqueadores, cremes dentais, produtos para limpeza corporal e limpeza, bases para maquiagem, sabonetes líquidos para as mãos, detergentes para a roupa e óleos de banho / sais de banho.

O problema real do SLES / SLS é que seu processo de fabricação (etoxilação) resulta na contaminação do SLES / SLS com 1,4 dioxano, subproduto cancerígeno.

Ftalatos são ingredientes plastificantes que foram associados a defeitos congênitos no sistema reprodutivo de meninos e menor mobilidade de espermatozoides em homens adultos, entre outros problemas. Esteja ciente de que ftalatos estão muitas vezes escondidos em rótulos de xampu sob o termo genérico “fragrância”.

Metilisotiazolinona (MIT), produto químico usado em xampus para evitar o desenvolvimento de bactérias, que pode ter efeitos prejudiciais no sistema nervoso.

Tolueno, produzido de petróleo ou alcatrão mineral e encontrado na maioria das fragrâncias sintéticas e esmaltes. Exposição crônica a ele foi associada à anemia, diminuição da contagem de células sanguíneas, danos no fígado ou rins e pode afetar um feto em desenvolvimento.

Corte suas Exposições Químicas com estas Dicas Simples

O Environmental Working Group possui ótimo banco de dados para ajudá-lo (a) a encontrar produtos de cuidados pessoais livres de substâncias químicas potencialmente perigosas. Produtos com selo USDA 100% Orgânico estão entre as opções mais seguras se você quiser evitar ingredientes potencialmente tóxicos.

Tome cuidado, uma vez que produtos que ostentam rótulos afirmando serem “totalmente naturais” ainda podem conter substâncias químicas nocivas, por isso verifique a lista completa de ingredientes. Melhor ainda, simplifique sua rotina e crie seus próprios produtos. Uma grande quantidade de loções, poções e tratamentos capilares pode ser eliminada com um pote de óleo de coco, por exemplo, ao qual você pode adicionar um óleo essencial de alta qualidade, se desejar, para aromaterapia.

É importante lembrar que sua pele é seu maior e mais permeável órgão. Qualquer coisa que você colocar sobre a pele vai acabar em sua corrente sanguínea e será distribuída por todo o organismo. Uma vez que esses produtos químicos chegam ao organismo, eles tendem a acumular com o tempo, porque normalmente você não tem enzimas necessárias para decompô-los.

Quer você produza seu próprio produto ou mude para uma marca verdadeiramente natural e livre de toxinas, há alternativas aos produtos comuns, e muitas vezes tóxicos, que estão nas prateleiras das farmácias e lojas de cosméticos – e você pode até achar que elas são melhores do que a marca antiga.

Não há razão para colocar substâncias químicas questionáveis em sua pele todos os dias, e quanto mais pessoas exigirem produtos melhores … mais a indústria pode ser forçada a deixar de usar seus ingredientes tóxicos e mudar.

Dr. Mercola