Usuários de telefones celulares, cuidado: Descubra como evitar problemas graves de saúde

Você o vê em todos os lugares. Pessoas andando por aí, de cabeça baixa, olhando para seus telefones. Nos restaurantes, as pessoas sentam-se frente a frente e não dizem uma palavra porque estão muito absortas em seus telefones. Nos supermercados, as mães fazem compras com os filhos, mas mal percebem porque seus telefones chamam a atenção delas. E as crianças apenas olham em volta, sozinhas, sem interação com a mãe.

O vício em smartphones é real e pode causar sérios problemas para você.

Dizem que é apenas um sinal dos tempos, mas é mesmo? Precisamos realmente nos resignar ao fato de que as pessoas ficarão viciadas em seus dispositivos móveis e não há absolutamente nada que alguém possa fazer a respeito? Não. O uso excessivo de seu smartphone ou dispositivo móvel traz consequências graves.

O uso excessivo de telefones celulares prejudica a saúde do cérebro e encurta a memória

Existem algumas consequências sérias, até alarmantes, do uso excessivo do telefone. Estudos descobriram mudanças na função cerebral, um aumento no consumo de alimentos não saudáveis ​​(açúcar em particular) e um efeito desumanizador.

Essas são algumas das questões levantadas por cientistas, médicos e sociólogos em relação ao uso excessivo de dispositivos.

  • Tem um efeito desumanizador . Você provavelmente já viu pessoas tratando os outros de forma horrível online, trollando, intimidando e apenas sendo desagradáveis. Existe uma dinâmica de uso excessivo do dispositivo que provoca um certo grau de desumanização. As pessoas passam muito tempo no mundo virtual e não interagem com pessoas reais no mundo real. Eles se esquecem de que existem seres humanos reais, que pensam e sentem do outro lado da tela. Eles não precisam enfrentar a humanidade, então podem ser tão cruéis com o computador quanto quiserem. A questão é que não é o computador que está se machucando.
  • Isso encurta sua memória.   A maioria das pessoas usa seus smartphones como um computador, procurando informações, lendo artigos e fazendo pesquisas. Vários estudos descobriram que acessar informações dessa forma realmente muda a maneira como o cérebro lida com as informações. Ele não retém as informações da mesma forma que se estivessem em um livro. Em vez disso, apenas os “destaques” são lembrados e o resto é esquecido com a garantia de que pode ser acessado facilmente com alguns cliques.
  • Altera a maneira como o cérebro processa as informações . O cérebro humano processa as informações de um computador de maneira diferente do que quando as informações vêm de uma fonte do mundo real, como um livro ou ser humano. O cérebro humano tem a capacidade de ler as expressões faciais das pessoas, o que é uma parte fundamental de nossa capacidade de sentir empatia e navegar com sucesso nas interações sociais.
  • Causa atenção parcial contínua.  A atenção parcial contínua, ou CPS, é a incapacidade de se concentrar em uma coisa, mas, em vez disso, deslizar para muitas fontes diferentes de informação. Isso afeta não apenas como as informações são retidas, mas também como são utilizadas.
  • Isso pode afetar sua capacidade de tomada de decisão . Um estudo com estudantes de escolas de medicina na China descobriu que, embora os participantes tivessem um alto nível de alfabetização em nutrição e saúde, eles ainda faziam escolhas muito ruins em relação aos alimentos consumidos, a saber, açúcar. Existe uma ligação entre o uso excessivo de smartphones e a impulsividade, levando a uma tomada de decisão inadequada.

O uso excessivo de smartphones também pode afetar seu sono, deixá-lo com a sensação de fadiga, bloquear sua criatividade, fazer com que você se sinta solitário, aumentar seu estresse, afetar negativamente suas habilidades de pensamento crítico e muito mais.

Não me entenda mal, a tecnologia é ótima em muitos aspectos. Mas, quando o uso de dispositivos móveis se torna excessivo e obsessivo, é hora de fazer uma mudança.

Faça o “teste” e descubra se você é viciado em smartphone

O vício do telefone celular é muito real e pode ser prejudicial para você em um nível físico e mental. Isso pode prejudicar seus relacionamentos, afetar seu trabalho e causar problemas na escola.

Reserve um momento para ser brutalmente honesto consigo mesmo. Algum destes sintomas de dependência de smartphone se aplica a você?

  • Você não pode simplesmente sentar e conversar com alguém sem o telefone na mão – e verificando-o com frequência ou olhando para ele enquanto fala com essa pessoa.
  • Você tem sintomas de fadiga ocular digital, que é desconforto e dor causados ​​por ver uma tela digital por mais de duas horas.
  • O uso do telefone colocou um relacionamento em risco.
  • Você tem um “pescoço de texto”.
  • O uso do telefone causou problemas para você no trabalho.
  • Você sofreu um acidente de carro ou quase errou porque estava falando ao telefone enquanto dirigia.
  • Você recorre ao telefone quando tem sentimentos de depressão, ansiedade ou rejeição.
  • Você se sente obrigado a pegar o telefone com frequência, mesmo enquanto dirige.
  • A maioria das suas experiências está ligada ao seu telefone.
  • Sua principal forma de interagir com as pessoas é digital.
  • Você tem problemas com o sono.
  • Você experimenta sintomas de abstinência quando não consegue usar o telefone
    • Raiva
    • Depressão
    • Inquietação
    • Tensão
    • Irritabilidade
  • Seu telefone é a primeira coisa com a qual você interage ao se levantar de manhã.
  • Você fica ansioso quando não está usando o telefone ou não pode usá-lo.
  • Você passa mais tempo ao telefone do que imagina ou fica surpreso ao saber quanto tempo passa ao telefone?
  • O seu tempo de tela está aumentando?
  • Você verifica o telefone com frequência, mesmo quando sabe que não há nada importante ou novo para ver?
  • Você leva o telefone para as refeições e fica ligado enquanto está comendo?
  • Quando você dorme, seu telefone fica ao lado da cama ou embaixo do travesseiro?
  • Você acorda durante a noite para verificar seu telefone?
  • Você usa o telefone quando deveria estar fazendo outras coisas, como trabalho, tarefas domésticas, lição de casa ou cuidar de seus filhos?
  • Você sente uma necessidade intensa de ter o telefone com você o tempo todo?
  • Você acha que pode ser viciado em seu telefone?

Responder sim a apenas cinco dessas perguntas pode indicar um vício; no entanto, se você respondeu sim a mais de uma das perguntas, convém dar uma olhada no uso do seu telefone e reduzi-lo.

Não sabe por onde começar? Temos algumas dicas para ajudar.

Quer largar o hábito do seu dispositivo móvel?

Você pode quebrar o vício do smartphone. Aqui estão algumas maneiras de começar.

  • Reserve um dia por semana para desligá-lo. Um dispositivo digital rápido pode ser uma maneira muito eficaz de reduzir o tempo de tela.
  • Reserve um certo tempo todos os dias para desligar o telefone.
  • Remova todos os aplicativos que são inúteis ou que representam distrações.
  • Experimente um aplicativo que o ajude a limitar o tempo de tela, como AppDetox ou SociaFever
  • Defina uma senha longa ou complexa em seu telefone e defina sua tela para um curto tempo de desligamento.
  • Carregue seu telefone em outro cômodo em vez de ao lado da cama – e se você usar o telefone para acordá-lo de manhã, compre um despertador.
  • Use funções como modo avião ou não perturbe.
  • Desligue as notificações em seu telefone.
  • Guarde o telefone quando estiver com outras pessoas e durante as refeições.
  • Quando sentir necessidade de pegar o telefone, distraia-se caminhando, malhando ou indo encontrar-se com um amigo.
  • Desligue o telefone quando estiver em uma loja ou sair com amigos.
  • Deixe seu telefone no carro quando for a algum lugar.

Se você descobrir que simplesmente não consegue fazer isso sozinho, não tenha medo de pedir ajuda a um técnico de saúde. Eles podem ajudá-lo a encontrar um especialista em dependência que possa ajudá-lo a se libertar.

Lembre-se de que você pode acabar com o vício do smartphone e voltar ao mundo real – e vale a pena.

Stephanie Woods

As fontes deste artigo incluem:

MDPI.com
Intel.com
harvard.edu
Colby.edu
TheVisionCouncil.org
nih.gov
AddictionCenter.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *