Uma em cada três pessoas tem esse parasita ocular

O Toxoplasma gondii é um parasita e responsável pela infecção da toxoplasmose. Um estudo 1 publicado em maio de 2022 constatou que a prevalência de infecções oculares causadas pelo parasita é comum em adultos australianos. O parasita é conhecido por causar infecção globalmente em uma ampla variedade de aves, mamíferos e humanos.

Um parasita é um organismo vivo que requer um hospedeiro do qual obtém seus alimentos e nutrientes. 2 Existem três classes de parasitas que podem afetar os seres humanos, incluindo protozoários, helmintos e ectoparasitas. Os protozoários são organismos unicelulares que se multiplicam em humanos e podem evoluir para infecções graves.

Helmintos são organismos multicelulares que podem ser vistos a olho nu na fase adulta. Estes incluem vermes chatos, vermes de cabeça espinhosa e lombrigas. Ectoparasitas são artrópodes sugadores de sangue, como carrapatos, piolhos, ácaros e pulgas. Segundo o CDC, 3 a malária é globalmente responsável por mais mortes do que qualquer outra doença parasitária.

A maioria das mortes por malária ocorre em crianças que vivem na África Subsaariana. No entanto, outras infecções parasitárias também são encontradas em todo o mundo. Os médicos usam vários tipos diferentes de testes para identificar doenças parasitárias, incluindo uma amostra fecal, endoscopia ou colonoscopia, exames de sangue e estudos de imagem para procurar lesões. 4

As doenças parasitárias podem ser transmitidas de animal para humano ou de humano para humano, ou podem ser adquiridas do meio ambiente. 5 A transmissão animal também pode ocorrer quando a carne é infectada e utilizada como alimento, por exemplo, cryptosporidium ou trichinella encontrados em vacas ou porcos. O estudo em destaque analisou a prevalência do Toxoplasma gondii, um parasita comum em todo o mundo. 6

Evidência clínica de infecção parasitária comum na Austrália

O Toxoplasma gondii é um parasita microscópico que foi caracterizado como o “parasita de maior sucesso no mundo hoje”. 7 Este é o resultado da capacidade do parasita de infectar praticamente qualquer mamífero, pássaro ou pessoa em todo o mundo. E, como nenhum tratamento conhecido erradicará o parasita, o hospedeiro carregará o Toxoplasma por toda a vida.

Atualmente, não há vacina aprovada para uso em animais 8 ou humanos 9 que possa prevenir a infecção. Especialistas estimaram 10 que a prevalência de Toxoplasma em humanos pode variar de 10% da população mundial até 80%, dependendo do país que está sendo estudado. Baixa soroprevalência foi demonstrada no norte da Europa, América do Norte, Sudeste Asiático e África entre o deserto do Saara e o Sudão.

As áreas do mundo com maior prevalência incluem o centro e o sul da Europa, América Latina e países da África tropical. O objetivo do estudo apresentado 11 foi determinar uma estimativa da prevalência de retinocoroidite por Toxoplasma na Austrália. A retinocoroidite por toxoplasma é uma manifestação clínica comum para a qual a epidemiologia não foi amplamente relatada.

A infecção causa inflamação e cicatrização permanente da retina, também chamada de toxoplasmose ocular. 12 A doença pode causar uveíte recorrente caracterizada por retinite necrosante e cicatriz pigmentada, com vasculite e vitrite. 13

Normalmente, o diagnóstico é feito facilmente por um oftalmologista ou optometrista. O estudo em destaque utilizou exames de sangue para anticorpos para confirmar o diagnóstico, 14 apesar da alta soroprevalência na população geral, o que pode tornar o teste geralmente improdutivo para o diagnóstico. 15

Os pesquisadores usaram dados do estudo de envelhecimento em saúde de Busselton, baseado na comunidade, transversal. 16 No estudo dos pais, os pesquisadores escreveram que o Toxoplasma gondii havia sido identificado como a “infecção parasitária mais negligenciada”. 17

O objetivo foi determinar a prevalência da infecção e determinar os fatores de risco para a população. Os resultados do estudo dos pais descobriram que 66% dos indivíduos eram soropositivos para anticorpos IgG e IgM. Os pesquisadores também descobriram que quanto mais velho o participante, maior a probabilidade de serem infectados. A prevalência aumentou de 44,4% em pessoas de 18 a 34 anos para 81% em pessoas de 75 a 84 anos.

Os pesquisadores do estudo em destaque coletaram dados de fotografias da retina tiradas após a dilatação da pupila para avaliar a presença ou ausência de lesões conhecidas como comuns à retinocoroidite toxoplasmática. Os pesquisadores descobriram que cerca de 1 em 149 pessoas, ou 0,67%, apresentavam a aparência característica das lesões e apresentavam níveis séricos detectáveis ​​que eram consistentes com o diagnóstico.

Com base na prevalência encontrada no tamanho da amostra, os pesquisadores concluíram que os esforços “para quantificar e abordar os fatores de risco para infecção humana por T. gondii são justificados”. 18

Sintomas de toxoplasmose ocular

A toxoplasmose ocular é a principal causa de uveíte em todo o mundo e uma razão comum para a perda de visão após uma infecção intraocular. 19 Os sintomas da doença geralmente se apresentam quando a pessoa tem 20 a 40 anos de idade.

Normalmente, um oftalmologista verá uma área de retinite necrosante próxima a uma cicatriz coriorretiniana pigmentada. Também pode haver lesões satélites, hipertensão ocular inflamatória ou vasculite generalizada. Algumas pessoas são assintomáticas, enquanto outras se queixam de visão embaçada, olhos vermelhos, moscas volantes ou dor. 20 Até 24% dos pacientes chegam ao oftalmologista com visão 20/200 ou pior.

A infecção pode permanecer inativa por períodos de tempo e depois reativar na borda de cicatrizes antigas. Infelizmente, a taxa de recorrência pode chegar a 79%, mas enquanto nenhum tratamento conhecido erradica o parasita, aqueles que foram submetidos a tratamento para toxoplasmose ocular têm uma redução significativa na recorrência. 21

Em muitos casos, a infecção é autolimitada e pode não exigir tratamento. No entanto, se a visão estiver ameaçada, os médicos podem prescrever corticosteroides, sulfadiazina e pirimetamina. 22 No entanto, há “toxicidade substancial” com este protocolo de tratamento. 23 Uma revisão da literatura 24 sugere que o tratamento com trimetoprima-sulfametoxazol é igualmente eficaz com um perfil de segurança melhorado e pode ajudar a prevenir uma recorrência.

Como é transmitido o Toxoplasma Gondii?

A toxoplasmose pode infectar quase todos os animais de sangue quente. Ainda assim, a American Veterinary Medical Association 25 destaca que todas as espécies de felinos são hospedeiras definitivas do parasita. “Isso significa que eles são os únicos animais que passam oocistos, o estágio ambientalmente resistente do parasita, em suas fezes para infectar outras espécies animais (incluindo pessoas).” 26

Quando os gatos atacam pequenos animais infectados, eles próprios se infectam. Gatos que vivem apenas dentro de casa podem ser infectados ao comer restos de carne crua ou carne crua. O gato desenvolve cistos dentro do tecido que se infectam com Toxoplasma gondii. Inicialmente, um gato pode eliminar milhões de oocistos nas fezes, expondo outros animais e pessoas ao parasita. Este é um estágio de paredes espessas no ciclo de vida do parasita.

Após o período inicial, a maioria dos gatos para de passar oocistos e pode parecer perfeitamente saudável. Outros gatos podem desenvolver sintomas de danos no fígado, pneumonia ou outras condições de saúde.

Esses oocistos podem existir no ambiente por longos períodos de tempo. Quando as fezes do gato são consumidas pelo gado, os parasitas podem migrar para o músculo e sobreviver após o abate do animal. 27 Os humanos podem ser infectados bebendo água contaminada, comendo carne infectada ou comendo produtos frescos que contenham oocistos.

Preocupações de infecção durante a gravidez

Embora a maioria das pessoas não apresente sintomas após ser infectada pelo Toxoplasma gondii, uma infecção nos meses antes de engravidar ou no início da gravidez é especialmente preocupante. De acordo com o March of Dimes, a toxoplasmose pode ser transmitida ao feto se você tiver sido infectado dentro de seis meses após a gravidez. 28 Isso pode causar parto prematuro, natimorto ou aborto espontâneo.

O risco de passar para o bebê depende de quando a mãe foi infectada. Quanto mais tarde na gravidez uma mulher for infectada, maior a probabilidade de o bebê também ser portador de toxoplasmose. No entanto, infecções anteriores podem levar a problemas mais sérios, incluindo danos cerebrais, hepáticos e oculares.

De acordo com o March of Dimes, “Até 1 em cada 2 bebês (50%) infectados com toxoplasmose durante a gravidez nascem precocemente (prematuros)”. 29 Até 10% dos bebês infectados durante a gravidez podem apresentar sintomas que incluem fígado e baço inchados, linfonodos inchados, problemas de alimentação, baixo peso ao nascer ou convulsões.

Os bebês também podem ter condições neurológicas, como hidrocefalia, microcefalia ou macrocefalia. A hidrocefalia, também chamada de fluido no cérebro, ocorre quando há muito líquido cefalorraquidiano pressionando o cérebro.

A macrocefalia é uma cabeça de tamanho grande e a microcefalia é menor do que o tamanho normal da cabeça. Os recém-nascidos que são portadores de toxoplasmose também podem desenvolver sintomas mais tarde na vida, incluindo deficiências intelectuais ou de desenvolvimento, infecções oculares, problemas de visão, convulsões ou perda auditiva.

Estudos também investigaram algumas das infecções congênitas mais comuns que são conhecidas por causar deficiências no desenvolvimento neurológico, como a paralisia cerebral. Essas infecções são conhecidas pelo acrônimo TORCH — toxoplasmose, rubéola, citomegalovírus e vírus do herpes simples. 30

Passos para ajudar a prevenir a toxoplasmose

Após a infecção pela toxoplasmose, a maioria dos adultos não apresenta sintomas. No entanto, algumas pessoas podem ter sintomas semelhantes aos da gripe, como dor de garganta, glândulas inchadas, dores musculares e temperatura alta. 31 Pessoas com a condição normalmente melhoram dentro de 6 semanas por conta própria. Você deve consultar seu médico se começar a ter alterações na visão, estiver grávida, planejar engravidar ou tiver um sistema imunológico enfraquecido.

O rastreio de rotina não é necessário, mas contacte o seu médico se tiver sintomas. Eles podem fazer um exame de sangue para medir a imunoglobulina G (IgG). Se for necessário determinar quando você foi infectado, o médico pode solicitar um teste de imunoglobulina M (IgM). Existem vários passos que você pode tomar para prevenir a toxoplasmose. 32 , 33

Cubra todas as caixas de areia externas quando não estiverem em uso. Gatos de rua costumam usá-los como caixas de areia.
Use luvas ao trabalhar ao ar livre.
Lave as mãos depois de trabalhar no jardim ou depois de sair ao ar livre, especialmente antes de preparar os alimentos.
Lave as mãos cuidadosamente sempre que tocar no gato, no solo ou na carne crua.
Evite tocar seu rosto ao trabalhar com carne crua ou produtos hortícolas.
Limpe qualquer coisa que tenha estado em contato com carne crua com água quente e sabão. Limpe todas as superfícies de trabalho e utensílios com água quente e sabão depois de serem usados ​​com carne crua, frutas ou vegetais.
Cozinhe a carne e as aves até que estejam totalmente cozidas e os sucos saiam claros.
Evite comer carnes curadas como presunto de Parma ou salame.
Evite beber água contaminada ou não tratada.
Lave ou remova a pele de todas as frutas e vegetais.
Controle a população de moscas e baratas em sua casa o máximo possível. Esses insetos podem espalhar o parasita nos alimentos.
Não coma mariscos crus ou contaminados.

Se você estiver em risco, deve tomar precauções extras para evitar uma infecção. Estes podem incluir:

  • Mantenha seu gato dentro de casa para que ele não seja infectado
  • Alimente seu gato com alimentos secos ou enlatados e evite uma dieta de carne crua, pois, como os humanos, os gatos podem adquirir a infecção da carne crua
  • Evite gatos vadios
  • Durante a gravidez, peça para outra pessoa limpar a caixa de areia
  • Se você precisar limpar a caixa de areia, use luvas para limpar a caixa diariamente, desinfete-a com água fervente por cinco minutos e lave as mãos cuidadosamente com água morna e sabão depois

Dr. Mercola

Fontes e referências:

OBS.: Temos como detectar por biorressonância e tratar com tratamentos não invasivos, além de recomendações de suplementos naturais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *